Neymar fecha 1000 dias de PSG com ‘metade’ da frequência que tinha no Barcelona. Entenda

Departamento médico, lesões, contratos pessoais, indisciplina, fazem com que Neymar jogue “pouco” pelo PSG.

Publicado por: em 2 de maio de 2020 - 23:52

Ver Perfil

Turista

Neymar no começo do campeonato 2020. Foto: Divulgação PSG.

Neymar e PSG tem uma relação recheadas por títulos e polêmicas. Em meio às boas atuações, o craque brasileiro ficou muitas vezes ofuscado por constantes lesões, atritos internos e declarações controversas.

Mas além disso, existe um dado que chama a atenção. Neymar vestiu a camisa do PSG em apenas 80 partidas ao longo de três anos (26,6 jogos/temporada), enquanto jogou 186 vezes pelo Barcelona entre 2013 e 2016 (46,5 jogos/temporada).

O fator mais óbvio para tal diferença foi o alto número de lesões. É verdade que Neymar também se lesionou bastante na Catalunha, mais precisamente oito vezes, que o fizeram perder um total de 23 partidas pelo clube espanhol em quatro temporadas.

Porém, o brasileiro se machucou mais vezes em menos tempo em Paris, e com lesões mais graves, que o tiraram de campo por muito mais tempo. As principais lesões foram duas fraturas no quinto metatarso do pé direito e um rompimento de ligamento do tornozelo direito, que o fizeram parar por cerca de 240 dias no total, quase uma ano completo.

Essas lesões também tiraram Neymar de duas decisões da Liga dos Campeões (2017/18 e 2018/19), e o PSG acabou eliminado nas duas. Após a última delas, inclusive, o brasileiro usou suas redes sociais para reclamar da arbitragem pelo pênalti marcado a favor do Manchester United, que custou a eliminação do clube francês. Com a crítica, o camisa 10 pegou um gancho de três partidas na edição 2020 da competição.

A última lesão de Neymar pelo PSG aconteceu nos minutos finais de uma partida contra o Montpellier, após sofrer uma falta e cair com a costela no gramado. O episódio fez o craque ficar parado por mais 13 dias, pouco tempo se comparado com as outras lesões.

No entanto, o jogador se mostrou muito irritado com o departamento médico do PSG. Ele reclamou publicamente que não precisava ter ficado todo esse tempo parado e que o excesso de zelo do PSG fazia com que perdesse ritmo de jogo.

Neymar retornou para as oitavas de final da Champions League contra o Borussia Dortmund. E mesmo com o problema, marcou gol nas duas partidas e garantiu a classificação do PSG para as quartas de final. A partir da reclamação do brasileiro, é bem possível que o departamento médico do clube tenha sido culpado por parte das partidas perdidas pelo craque.

Além disso, o PSG também demorou para encontrar um técnico capaz de colocar todas estrelas juntas para jogar. Unai Emery teve problemas com jogadores do elenco e os resultados abaixo do esperado fizeram com que fosse demitido.

E agora, quando o PSG estava jogando bem, com Neymar saudável e com a  importante classificação na Champions League, com o camisa 10 decidindo, veio a pandemia do novo coronavírus e tirou o brasileiro dos gramados mais uma vez – assim como tirou todos os outros jogadores.

No momento, ninguém sabe como será o futuro da Liga dos Campeões e se o PSG conseguirá seu tão sonhado título. Mas o fato é que muitos fatores interferiram para Neymar não conseguir atuar com a mesma frequência com que jogava em Barcelona.

E  torcedor do PSG sabe mais do que ninguém como o camisa 10 é importante para as ambições do clube. Quando joga, joga bem. Mas a grande questão é se estará em campo sempre que o Paris precisar.

Da redação do Portal de Esportes com informações do Yahoo Esportes.