‘Se não jogarmos nos próximos meses, a Bundesliga entrará em colapso’, afirma dirigente do Borússia Dortmund.

Hans-Joachim Watzke, enfatizou a importância de retornar às atividades mesmo sem público.

Publicado por: em 27 de abril de 2020 - 0:09

Ver Perfil

Colapso

Hans-Joachim Watzke Presidennte do Borussia está preocupado com o caos que atingiria o futebol

Hans-Joachim Watzke. Presidente Borussia Dortmund. Foto: Getty Images

Em entrevista à emissora ‘Sky’, o diretor-gerente do Borussia Dortmund, Hans-Joachim Watzke, enfatizou a importância de retornar às atividades da Bundesliga mesmo sem a presença do público. Para ele, caso os jogos não sejam realizados nos próximos meses, a liga entrará em colapso e não será a mesma que os torcedores conhecem.

– Se não jogarmos nos próximos meses, toda a Bundesliga entrará em colapso. Então não existirá mais na forma como a conhecemos – disse Watzke

Até o momento, não foram definidas as novas datas do Campeonato Alemão. Cabe salientar que restam nove rodadas para o fim da competição. A tendência é que os 82 jogos que faltam sejam disputados com os portões fechados, e o mínimo de pessoas nos estádios.

O dirigente disse que compreendeu as críticas dos torcedores sobre os jogos sem público, porém salientou a necessidade do retorno para salvar o futebol alemão de consequências ainda piores.

– É claro que também sei que muitos fãs dizem que a atmosfera no estádio não está lá, não aparece na TV. Isso é perfeitamente claro. Mas, trata-se de salvar o futebol – ressaltou.

A federação alemã planeja retornar a disputa da Bundesliga a partir do dia 9 de maio, com no máximo 300 pessoas em cada jogo (jogadores, árbitros, profissionais de logística, segurança e saúde). Segundo Watzke, todos os clubes estão prontos para retornar nesta data.

Por fim o ex-presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, concordou com o posicionamento de Watzke sobre a importância do retorno dos jogos para a saúde financeira dos clubes e o futuro do futebol.

– Em princípio, os jogos a portas fechadas me parecem questionáveis, mas, tendo em vista a situação financeira de alguns clubes, são de vital importância e não há alternativa a eles – comentou Hoeness à revista Kicker.

Conforme divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o último relatório mostra que a Alemanha registrou em torno de 157 mil casos de coronavírus com 5.880 mortes pela doença.

 Da redação do Portal de Esportes com informações do Lance!