Amigo de Lula, Luxemburgo diz “não ter problema” em cumprimentar Bolsonaro

Ele afirmou, ainda, que se encontrasse com Bolsonaro no estádio, poderia cumprimentá-lo “independentemente de ideologias diferentes”.

Publicado por: em 3 de janeiro de 2020 - 10:56

Ver Perfil

Sem problemas

Foto: Portal de Esportes

O novo técnico do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo, mal assumiu a equipe e já foi questionado. Não pelo seu trabalho, mas pela sua posição política. Isso porque Luxemburgo é petista e amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Palmeiras é o time do coração do presidente Jair Bolsonaro.

Em um vídeo intitulado “Luxemburgo x Bolsonaro e o Palmeiras”, publicado em dezembro de 2018. O técnico expressa sua opinião sobre a presença do então presidente eleito em alguns jogos do time alviverde, situação que ele classifica como “normal”.

Na visão do treinador, é “frescura” criticar o direito de Jair Bolsonaro de expressar torcida por uma equipe apenas pelo fato de ele ser um político. Da mesma forma, Luxemburgo, como figura pública do esporte, defende o seu direito de opinar sobre tudo, inclusive política.

“Eu não posso perder esse privilégio de ser um cidadão brasileiro dentro de uma democracia que tem liberdade para todo mundo”, afirmou o treinador, em entrevista à Folha de S.Paulo “Às vezes, as pessoas [nos] tratam de forma diferente. Acham que nós, pessoas públicas, deixamos de ser cidadãos”, acrescenta.

No vídeo em que fala sobre a relação do presidente com sua atual equipe, Luxemburgo afirma que futebol e política se misturam. “Quando a seleção ganha uma competição, tem de ir lá cumprimentar o presidente e ser recebido por ele. Não vejo problema nenhum nisso. São coisas pequenas, insignificantes dentro do contexto geral do Brasil.”

Ele afirmou, ainda, que se encontrasse com Bolsonaro no estádio, poderia cumprimentá-lo “independentemente de ideologias diferentes”.