Brasil encerra 2019 com 22 medalhas em Mundiais ou competições equivalentes

Desempenho é o melhor já registrado pelo país em anos pré-olímpicos

Publicado por: em 2 de janeiro de 2020 - 10:55

Ver Perfil

Bons Resultados

O Time Brasil conquistou 22 medalhas em Campeonatos Mundiais ou competições equivalentes em 2019. É o melhor resultado da história em um ano pré-olímpico e o terceiro no geral, atrás somente dos anos de 2013 (27) e 2014 (24). Ao todo, 13 modalidades esportivas foram ao pódio: boxe, canoagem velocidade, esgrima, ginástica artística, judô, karatê, natação, skate park, skate street, surfe, taekwondo, vela e vôlei.

“Foi um ano positivo, de bons resultados e posições significativas nos rankings mundiais em diversas modalidades. Superar as 20 medalhas tornam o resultado bastante expressivo na realidade atual do esporte. Na comparação com outros países, nos situamos entre os 15 melhores do mundo no quadro de medalhas”, afirmou o diretor de Esportes do COB, Jorge Bichara.

Arthur Nory conquistou o título mundial de ginástica na barra fixa. Foto: Divulgação/CBG

Os atletas brasileiros venceram sete competições no ano: Beatriz Ferreira foi campeã mundial de boxe (até 60kg), na Rússia; Nathalie Moellhausen, do Mundial de Esgrima (espada), na Hungria; Pâmela Rosa, do Mundial de Skate Street, em São Paulo; Isaquias Queiroz, do Mundial de Canoagem Velocidade (C1 1.000m), na Hungria; Arthur Nory, do Mundial de Ginástica Artística (barra fixa), na Alemanha; Italo Ferreira, do ISA Games (surfe), no Japão; e Martine Grael/Kahena Kunze, campeãs do evento-teste de vela (classe 49er FX), também no Japão.

No caso das velejadoras, optou-se por considerar o evento-teste em detrimento ao Mundial no início de 2019, após reunião entre CBVela e COB. O local de competição e as condições climáticas similares foram determinantes para essa escolha.

O segundo caso em que se adotou o evento-teste como referência foi o karatê, que não teve Campeonato Mundial em 2019. No Premier do Japão, realizado em setembro, Vinicius Figueira (até 67kg) terminou com a medalha de bronze.

Os resultados positivos obtidos nesta temporada são fruto de um investimento constante e a longo prazo do COB, em parceria com as Confederações Brasileiras Olímpicas.

“Várias ações foram desenvolvidas para os Jogos Rio 2016 e mantiveram capacidade de resultado para o ciclo seguinte. Esses investimentos se mantêm porque temos uma estrutura sedimentada, apesar dos cortes de investimento no esporte e no país. O conhecimento adquirido neste período permite que o Time Brasil se mantenha com bons níveis de treinamento e boa representatividade internacional”, disse Bichara.

Com 154 vagas já asseguradas em Tóquio 2020, o trabalho a partir de agora envolve a classificação de novos atletas e equipes, além de ajustes finos na programação delineada pelo COB.

“Esses sete meses que temos pela frente serão fundamentais para o nosso planejamento. Se chegarmos a julho de 2020 com tudo em ordem, mesmo sabendo que podemos ter uma ou outra perda, chegaremos a Tóquio em excelentes condições de performance”, finalizou.

Veja a lista completa de medalhas conquistadas pelo Time Brasil em 2019:

OURO
1) Nathalie Moellhausen – esgrima (espada) – campeã mundial na Hungria
2) Beatriz Ferreira – boxe (até 60kg) – campeã mundial na Rússia
3) Arthur Nory – ginástica artística (barra fixa) – campeão mundial na Alemanha
4) Isaquias Queiroz – canoagem velocidade (C1 1.000m) – campeão mundial na Hungria
5) Italo Ferreira – surfe – campeão do ISA Games no Japão
6) Pâmela Rosa – skate (street) – campeã mundial em São Paulo
7) Martine Grael/Kahena Kunze – vela (49er FX) – campeãs do evento-teste no Japão

PRATA
1) Silvana Lima – surfe – vice-campeã do ISA Games, no Japão
2) Rayssa Leal – skate (street) – vice-campeã mundial em São Paulo
3) Bruno Fratus – natação (50m livre) – vice-campeão mundial na Coreia do Sul
4) Luiz Francisco – skate (park) – vice-campeão mundial em São Paulo
5) Seleção feminina – vôlei – vice-campeonato na Liga das Nações, na China

BRONZE
1) Hebert Sousa – boxe (até 75kg) – terceiro lugar no Mundial da Rússia
2) Maicon Andrade – taekwondo (acima de 87kg) – terceiro no Mundial da Inglaterra
3) Milena Titoneli – taekwondo (até 67kg) – terceira no Mundial da Inglaterra
4) Mayra Aguiar – judô (até 78kg) – terceira no Mundial do Japão
5) Rafaela Silva – judô (até 57kg) – terceira no Mundial do Japão
6) Seleção brasileira – judô – terceira no Mundial do Japão
7) Pedro Quintas – skate (park) – terceiro no Mundial de São Paulo
8) Gabriel Medina – surfe – terceiro no ISA Games no Japão
9) Isaquias Queiroz/Erlon Souza – canoagem velocidade (C2 1.000m) – terceiros no Mundial da Hungria
10) Vinicius Figueira – karatê (até 67kg) – terceiro no Premier do Japão (serviu também como evento-teste)

Fonte: Comitê Olímpico do Brasil